Home > Acontece > Acontece no Mercado > A valorização do EAD pelas empresas

A valorização do EAD pelas empresas

Professora fala sobre a importância e a evolução da modalidade no país

por Rejane Tamoto

O EAD (ensino à distância) amadureceu na última década e acompanha a constante evolução da tecnologia. Esta modalidade de ensino é capaz de incluir alunos de cidades distantes das universidades. E mais, abre oportunidades de estudo a pessoas sem tempo de frequentar o curso presencial por conciliarem muitas atividades, como por exemplo a educação dos filhos e o trabalho.

O EAD exige disciplina e organização em relação ao uso do tempo. “Há muitas escolas oferecendo EAD e o crescimento do número de pessoas que ingressam em cursos de graduação à distância é maior do que no ensino presencial”, afirma Marta de Campos Maia, professora da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EAESP-FGV).

Entre as principais razões para o sucesso do EAD estão a flexibilidade de escolher o horário para estudar e os custos 50% inferiores aos da universidade presencial. Na entrevista a seguir, Marta analisa a evolução do EAD e dá dicas para empresas e estudantes interessados em aderir a esse modelo de ensino repleto de possibilidades. Confira o que a professora Maia tem para contribuir.

Por que o EAD é um bom modelo?

O que determina a qualidade de um curso não é o fato de o estudante estar na frente ou longe do professor. O que vale é a estrutura e o projeto pedagógico do curso. O modelo funciona por ser democrático e inovador, mas deve ter, em primeiro lugar, o princípio pedagógico de capacitar os alunos.

Quais as características do aluno?

Ele precisa ter um comportamento diferenciado dos estudantes de cursos presenciais, pois é responsável pelo próprio aprendizado. Controla a velocidade dos estudos e não tem essa de dormir em sala de aula. Precisa ser organizado e gestor do seu próprio conhecimento. É um erro achar que o aluno só aprende na frente de um professor.

Por que o EAD é muito recomendado para empresas?

O gasto para treinar funcionários em outra cidade pode ser muito grande. Afinal, entram na conta o deslocamento e o hotel. O mundo corporativo descobriu cedo que o formato à distância representa eficácia e também redução de custos. No EAD é possível fazer um mix de tecnologias e metodologias que otimizem o aprendizado do aluno. E isso é o que a empresa quer: capacitar e treinar com a menor despesa possível. Quanto maior o número de funcionários treinados dessa maneira, menor é o ônus para a empresa.

Diferencial do profissional que se formou por EAD

Ele tem diploma reconhecido pelo MEC, mas tem um diferencial porque conseguiu se organizar para concluir uma graduação ou pós-graduação de muitas horas à distância. A empresa deve “tirar o chapéu” para ele, pois é um profissional que sabe trabalhar online e com grupos, que consegue se controlar, cumprir tarefas e prazos.

O futuro do EAD

No futuro, vamos usar a realidade aumentada em todos os cursos. Um mecânico que precisar ser treinado para mexer em um novo motor poderá fazer isso sem estar na frente do carro. O que esperamos é usar mais filmes com personagens reais na internet. A tecnologia pode permitir que um aluno leia um texto em um site, responda a um teste e receba a correção imediata para avaliar seu aprendizado e saber se o certificado poderá ser emitido.

Dicas

É recomendado que os alunos olhem para a UAB (Universidade Aberta do Brasil), que reúne cursos de graduação e pós-graduação gratuitos de 96 universidades federais, estaduais e municipais. É uma universidade pouco conhecida, mas com polos em todo o Brasil. Para escolher uma boa instituição é preciso verificar se ela está credenciada no site da Capes.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite as inúmeras vagas. Se você já tem um cadastro, atualize-o e não perca as oportunidades.