Home > Acontece > Acontece no Mercado > 6 profissões do futuro que logo devem estar em alta

6 profissões do futuro que logo devem estar em alta

Confira algumas tendências do mercado de trabalho para os próximos anos

por Flavia Pegorin

“O que é que você quer ser quando crescer?” Não tem pai, tia ou vovó que não faça essa pergunta quando vê uma criança crescendo. Todos adoram projetar qual profissão aquela menininha esperta ou aquele garotinho fofo terá quando for adulto. A maioria escuta como resposta “médico”, “astronauta”, “professora” ou “super-herói que salva o mundo todos os dias”. É curioso pensar o que pensaríamos se a criança dissesse “eu vou ser especialista em lidar com vírus e bactérias e conter epidemias”. Nas profissões do futuro, talvez seja assim mesmo.

A revista norte-americana Forbes perguntou, em uma entrevista, quais as profissões do futuro que são mais promissoras na visão do escritor Thomas Frey, um renomado “futurólogo” (essa, sim, uma profissão inusitada já nos dias de hoje). Frey, acostumado a avaliar tendências em diversos ramos de atividades, selecionou seis áreas de atuação que ele, como estudioso, acredita serem grandes mercados de trabalho para as crianças de hoje – e os adultos caçadores de uma nova oportunidade de amanhã.

Fique de olho nestas profissões do futuro

Logística avançada

De acordo com o especialista, a demanda por pessoas que saibam controlar estoque e envio de mercadorias mundo afora já é imensa, mas a coisa só tende a crescer. “A posição dos profissionais de logística está mudando drasticamente”, explica Frey. Ele acredita que, em breve, essas pessoas terão que se mover para além de bens físicos, abraçando também o mundo da defesa, por exemplo, e dos projetos públicos, trabalhando com o uso de drones e utilizando veículos sem condutor.

Hacker “do bem”

Já acontece aqui e ali: empresas veem o nível de conhecimento de hackers e os contratam “para o bem”. No futuro, segundo Frey, vai haver ainda mais campo para aqueles que conhecerem os desmandos do submundo da tecnologia e quiserem colocar suas habilidades a serviço de empresas privadas. Bastará que certas regras sejam mais bem estabelecidas – do que é certo e errado no campo virtual – e, logo, poderá haver até diplomas de “Hacker Ético Certificado”.

Estatístico

Hoje em dia, nos EUA, um estatístico ganha cerca de US$ 87 mil ao ano. O salário, nos próximos anos, tende a crescer quase 30%. Isso porque a habilidade de prever riscos, principalmente, está muito em alta. Atualmente estatísticos são empregados comuns em bancos e seguradoras mas, segundo Thomas Frey, em breve eles serão essenciais em inúmeras outras áreas. Como medicina e saúde, por exemplo, cujo sucesso dependerá muito de estatísticas precisas.

Epidemiologista

Até pouco tempo, eles ainda eram raros e não faziam mais do que um salário modesto por ano. Mas bastou a gripe suína, a gripe aviária e ameaças apavorantes do gênero entrarem nos noticiários para os especialistas em epidemias ganharem espaço. E vão ganhar mais ainda: há registros de que a classe cresça mais de 35% nos próximos anos – e os governos mundiais vão disputar tais profissionais à tapa.

Com o avanço das tecnologias biológicas, em breve os epidemiologistas poderão se formar não só na Faculdade de Biologia, mas em saúde pública e afins – criando formas de ajudar a sociedade a driblar um vírus ou detectar antes dos engenheiros se cavar um túnel em determinado lugar pode desencadear doenças. Sim, Frey diz que vamos precisar de um epidemiologista “em cada esquina”.

Engenheiro front-end

Já ouviu falar? É o famoso desenvolvedor de internet, alguém que viabiliza todas aquelas páginas que usamos diariamente na rede. A demanda já é crítica. E empresas que não conversam no ambiente virtual com a clientela tendem a morrer. Assim, a área tende a ganhar o dobro de espaço em mais alguns anos, fazendo dessa pessoa que atua entre os programadores e os designers uma joia preciosa. Thomas Frey diz que, no futuro, tornar a aproximação das empresas com o público atraente e intuitiva é o que vai diferenciar os bons profissionais.

Químico alimentar

Vai assar um bolo e quer que ele saia perfeito? Chame um químico alimentar. Essa turma não estará na linha de frente da sua cozinha, mas é quase isso; eles poderão, além de tornar cada sabor mais delicioso, ser os responsáveis pela comida do futuro. “O ramo vai pirar”, empolga-se Frey. A demanda por dietas saudáveis e gostosas, a sanha mundial por novidades alimentares, o uso de impressoras 3D para criar “comida em casa” — não é balela! A NASA já estuda coisa semelhante – fará dos químicos alimentares astros.

É questão de perguntar novamente para a criançada se eles mantêm a posição de se tornarem médicos, professores, comissários de bordo ou mesmo presidente da nação. Porque as profissões do futuro já aparecem mais interessantes no cenário.

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite as inúmeras vagas. Se você já tem um cadastro, atualize-o e não perca as oportunidades.