Home > Acontece > Acontece na VAGAS > Analista de desenvolvimento ganha drone da VAGAS

Analista de desenvolvimento ganha drone da VAGAS

Amanda Blumer é a vencedora do concurso cultural na Campus Party

por Kety Shapazian
fotos por Newton Santos

A oitava edição da Campus Party Brasil terminou neste domingo após arrastar uma multidão para o São Paulo Expo, na zona sul de São Paulo. Entre as dezenas de milhares de visitantes e campuseiros, uma vencedora: Amanda Blumer foi a autora da frase mais legal com as palavras inovação, VAGAS e CPBR8 e levou um drone para casa no sábado à tarde.

“Na CPBR8 descobri que procurar emprego no VAGAS é como um drone: uma inovação que faz sua carreira profissional decolar para o sucesso”, escreveu Amanda, analista de desenvolvimento Android. Mais de 700 pessoas participaram do concurso cultural da VAGAS.com nos quatro dias que a empresa manteve um estande no local.

Pelos corredores, era fácil encontrar gente já se planejando para voltar em 2016. Gustavo Franzoi, aluno de engenharia ambiental, bem que falou que a Campus Party era um evento bacana, mas a namorada só acreditou quando eles montaram acampamento na edição deste ano. Daniele Souza, estudante de farmácia, achava que só ia encontrar adolescentes amantes de games. Estava enganada.

GUSTAVO FRANZOI E DANIELE SOUZA CAMPUS PARTY

“É muito diferente do que eu imaginava. Tem gente de tudo quanto é idade, robôs andando pelos corredores, vídeos de realidade virtual, palestras superlegais”, enumerou a jovem (foto acima).

“A Dani achava que era um evento chato, cheio de nerd, e está adorando”, disse o namorado. A única parte ruim, eles disseram, era conseguir dormir um pouco à noite. Na quinta, quando finalmente fecharam os olhos já eram seis horas da manhã. Em meio a tanto conteúdo de qualidade, o casal adorou uma palestra sobre motivação – “tudo a ver com tecnologia e empreendedorismo” – e pretende voltar no próximo ano.

Mundo geekMAURY PEREIRA blogueiro
Perto dali, Maury Pereira, um professor de sociologia que virou blogueiro, gravava um vídeo para o seu site, o redegeek.com.br. Com cara de nerd, barba de nerd, boné de nerd e, claro, óculos e camiseta de nerd, ele contou para o VAGAS Profissões que continua atuando na área de sociologia. Só mudou o local. “Trabalho com pessoas. A diferença é que estou na internet. Se antes dava aula para 40 alunos, hoje, transmito podcasts para uma plateia de 40 mil.” Hoje, vive do conteúdo que produz e transmite online, com estúdio em São Paulo.

Repórter-mirim
Como é de praxe em vários eventos grandes em São Paulo, como a Bienal do Livro, integrantes da rede de notícias Imprensa Jovem, projeto da Secretaria Municipal de Educação, circularam pela CPBR8. Nicolas Reis Matias, 12, gravador em punho, entrevistava campuseiros mas sonhava mesmo era com uma carreira em engenharia mecatrônica.

NICOLAS REIS MATIAS IMPRENSA JOVEM CAMPUS PARTY“Vou ter que estudar muita matemática”, disse o menino, aluno do 8º ano. A matéria que mais gosta é informática e estava se achando no paraíso entre os campuseiros. “Não consegui dormir ontem à noite de tão ansioso que estava”, confessou.

Cyber-feminista
Ana Frank, 58, “cyber-feminista, ativista digital, militante dos direitos das mulheres”, participou de todas as oito edições da Campus Party. Dessa vez, veio para divulgar o aplicativo Clique 180, lançado em 2014 para coibir violência contra as mulheres. Fruto de uma parceria entre a ONU Mulheres, a Secretaria de Políticas para as Mulheres e a Embaixada Britânica, a ferramenta é colaborativa e mapeia os locais que oferecem risco às mulheres, entre outras funcionalidades.

Para ajudar na divulgação ela criou um robô e se instalou bem na entrada da área dos campuseiros. “Eu sempre acompanho a molecada”, disse Ana, que faz questão de acampar todos os anos no evento. Haja fôlego, Ana.

ana frank campus party