Home > Busca de emprego > Busca de emprego > Currículo > 5 tipos de competências que NÃO devem estar no currículo

5 tipos de competências que NÃO devem estar no currículo

Algumas palavras e expressões podem ser evitadas para aumentar suas chances de ser chamado para uma entrevista

Quando você vai escrever ou atualizar seu currículo é sempre bom incluir alguns tipos de competências que mostram que você é qualificado para determinada vaga. Essas competências podem ser descritas em um item isolado, chamado de “Principais competências”, por exemplo, ou nas descrições das suas antigas funções, no item “Experiência profissional”.

5 tipos competências que NÃO devem aparecer no currículo

É preciso cuidado para selecionar os tipos de competências que você vai destacar no currículo. Segundo Alyson Doyle, do The Balance, nem tudo o que você entende por “competência” ajuda a conseguir um emprego. Em alguns casos, inclusive, destacar a competência errada pode reduzir a chance de você ser chamado para uma entrevista. Confira as dicas para não escorregar nessa hora.

1. Competências que você não tem

Parece óbvio, ok, mas muita gente insiste nesse erro. Tanto é que 77% dos gestores de RH já pegaram alguma mentira no currículo. O dado é de uma pesquisa da CareerBuilder. Entre as mentiras, claro, estavam tentativas frustradas de exagerar ou “embelezar” as qualificações do candidato para a vaga em questão.

Se você sabe que não tem as competências que o empregador está buscando, possivelmente seja o caso se você não se candidatar à vaga e focar seus esforços em oportunidades para as quais você de fato se qualifica.

Isso porque, ainda que o recrutador não perceba a mentira no currículo, ela pode vir à tona durante a entrevista. Já imaginou a vergonha?

2. Competências e conhecimentos ultrapassados

Ainda que você seja (ou tenha sido) um especialista em MS-DOS, Lotus 1-2-3 ou Vista, por exemplo, não coloque isso no currículo. As tecnologias ficam antigas muito rapidamente e saber como utilizá-las raramente é um diferencial quando elas não fazem mais sentido.

Se você estiver fora do mercado de trabalho há algum tempo, garanta que as competências que você quer destacar ainda sejam úteis e demandadas pelas empresas.

3. Competências não relevantes para o trabalho

A mesma pesquisa da CareerBuilder que apontou as mentiras nos currículos também indicou as piores gafes encontradas pelos recrutadores. Uma delas era destacar como competência a capacidade de fazer caminhadas longas.

Vamos combinar que longas caminhadas são ótimas para manter a saúde, mas não devem ser ressaltadas no currículo – a menos que você esteja se candidatando a uma vaga que envolva resistência física e atividades fitness ao ar livre, é claro!

4. Competências da moda que todo mundo repete

Algumas competências, por mais relevantes que sejam, acabam perdendo o sentido por serem usadas excessivamente em todos os perfis profissionais. Antes de utilizar alguma delas, pense se não há nada mais específico que você possa destacar.

Alguns exemplos são: capacidade de liderança, profissional focado, expert, criativo e apaixonado.

5. Competências ou conhecimentos comuns que todo mundo deveria ter

Se você estiver se candidatando a uma vaga de gerente pleno, a empresa certamente espera que você seja focado, tenha alguma experiência e faça um excelente trabalho se for contratado. Você não precisa dizer isso no currículo.

Da mesma forma, evite citar habilidades com Microsoft Office, email, e internet. É o mínimo esperado – ou não? 😉

Tipos de competências que você DEVE valorizar

Agora que você já sabe o que não deve incluir no currículo, confira os principais tipos de competência que você deve desenvolver para ser mais valorizado no mercado de trabalho. Vamos lá?

Liderança

Toda empresa busca profissionais com capacidade de liderança, independentemente do cargo que eles vão ocupar. Isso porque um líder é capaz de motivar o grupo para trabalhar em busca de um objetivo comum. Além disso, claro, a capacidade de liderar pessoas é sempre bem-vinda para cargos gerenciais.

No currículo, você não precisa dizer que tem capacidade de liderar pessoas, mas deve demonstrar que tem experiência com isso, se for o caso. Pode dizer que liderou o grupo de pesquisa que encontrou solução para determinado problema ou que liderava 12 pessoas na sua equipe, quando estiver falando de um cargo de gestão.

Boa comunicação e bom relacionamento interpessoal 

A capacidade de se comunicar bem com todos os níveis e áreas da organização também é cada vez mais procurada pelas empresas. O mercado hoje se apoia muito em trabalho colaborativo e, por isso, quem entende o que é dito e consegue se fazer entender leva vantagem.

Para demonstrar essa capacidade no currículo ou mesmo durante a entrevista de emprego, você pode contar que trabalhava de forma colaborativa com outras áreas e que mantinha contato frequente com clientes e prospects, por exemplo.

Capacidade de adaptação

Tudo muda o tempo todo no mundo e, claro, na dinâmica das empresas. Saber se adaptar é essencial para se desenvolver profissionalmente. Além disso, é preciso estar estar aberto a mudanças e não criar obstáculos a elas para não ver visto como alguém que atrapalha os planos quando deveria colaborar com eles.

Para mostrar essa competência, o ideal é relatar como você se adaptou fácil quando precisou mudar de área, de cidade, de empresa. É mais importante apresentar fatos do que dizer simplesmente que é um profissional com capacidade de adaptação.

Foco em resultados

Sua capacidade de manter o foco nos objetivos da empresa para garantir que os resultados sejam pode ser muito valiosa. É um dos tipos de competência que as empresas mais procuram.

No currículo, você pode demonstrar que tem orientação a resultados preenchendo os campos com textos cursos e bem escritos. Durante a entrevista, a melhor forma é responder de forma coerente e completa as perguntas do entrevistador.


Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.