Home > Carreira > Evolução profissional > “Odeio meu trabalho”: sinais de que é preciso mudar de emprego

“Odeio meu trabalho”: sinais de que é preciso mudar de emprego

Descubra quando é a hora de começar um ciclo novo e mais feliz na sua carreira
Profissional desanimado com o trabalho

“Odeio meu trabalho”. Essa frase faz parte da sua vida? Se a resposta for positiva, pode ser o caso de pensar se este é o momento de procurar outro emprego e ser mais feliz. 

Nós passamos muitas horas da nossa vida trabalhando – muito mais horas do que temos aos finais de semana. Portanto, se trabalhar causa “ódio”, ainda que você ganhe dinheiro, a conta pode não fechar quando colocar na balança o ganho financeiro x as consequências para saúde e vida pessoal. 

“Odeio meu trabalho, mas preciso dele”: como evitar a frustração?

Todo mundo precisa trabalhar – ou quase todo mundo, com raríssimas exceções. Porém isso não significa que você tenha de se conformar com qualquer trabalho, principalmente se você vive repetindo “odeio meu trabalho” e sabe que ele faz mal para a sua vida em geral. Também não significa que todo trabalho seja ruim. 

Se você se sente infeliz onde está, tente avaliar o que está acontecendo de fato. É o seu trabalho que causa essa infelicidade? Ou outros motivos deixam você triste e o trabalho acaba parecendo horrível?

Se o trabalho for de fato a raiz do problema, você precisa avaliar se a questão é a sua área de atuação ou a empresa (ou a equipe) em que você está. 

Identificando o problema, fica mais fácil buscar uma solução. Ainda que o mercado de trabalho não esteja fácil, sempre há a possibilidade de você conseguir outro emprego – seja para fazer a mesma coisa em outra empresa ou para mudar de área.

Para aumentar as chances de isso acontecer, o melhor é investir em você. Faça cursos, desenvolva habilidades e competências, busque mais conhecimento, converse com as pessoas para ativar seu networking. 

E, talvez o mais importante, saiba que é possível ser feliz trabalhando, desde que você faça algo que goste e esteja em um ambiente bom, em que as pessoas se respeitam e convivem de forma amigável. 

“Odeio meu trabalho, mas ganho bem”: o que fazer nesse caso?

Ganhar bem tem dois lados. O lado bom é que um bom salário permite que você realize planos e possa comprar o que quiser e viajar para onde desejar nas férias, por exemplo. O lado ruim é que quanto mais você ganha mais você tem dificuldade para abrir mão do seu emprego.

Se você odeia seu trabalho, mas ganha bem e sabe que dificilmente ganharia o mesmo salário em outra empresa ou outra função, é preciso colocar ganhos e perdas na balança. 

O que você ganha compensa a sua infelicidade profissional? Você poderia viver com menos dinheiro? Do que você poderia abrir mão para ser mais feliz no trabalho? É preciso pesar os dois lados, considerando que a sua saúde física e mental também conta muitos pontos. 

Seja qual for a sua decisão, é importante fazer tudo com cabeça fria e planejamento. Se você decidir abrir mão de salário para ser mais feliz, faça as contas, organize as finanças e dê um passo de cada vez para não jogar tudo para o alto. Ter um bom salário indica que você está se saindo bem profissionalmente, por isso não vale a pena tomar atitudes que possam prejudicar a sua imagem profissional. Vá com calma. 

Por outro lado, se você achar que o ganho financeiro traz uma felicidade que supera seu ódio ao trabalho, tente encarar a rotina de outra forma. Procure um propósito no que você faz – ainda que ele seja fazer suas viagens preferidas, comprar o apartamento dos seus sonhos etc. Quando a gente encontra um motivo para fazer o que faz tudo fica mais fácil. 

10 sinais de que você deve procurar outro emprego

Nem sempre é fácil reconhecer o momento em que a luz amarela acende e você deve buscar outro emprego. O alerta pode surgir por vários motivos. Você pode simplesmente estar estagnado há anos no mesmo cargo (e com o mesmo salário), pode estar doente por ter de trabalhar com alguém com temperamento difícil ou pode ter percebido que a empresa não é lá muito ética ou, pelo menos, não tão ética quanto você gostaria que fosse. 

A seguir, o coach Alexandre Rangel sinaliza 10 situações que possivelmente estejam indicando que é hora de começar um novo ciclo na sua carreira. Confira.

1. Você observa práticas não muito éticas na empresa

Você percebe que a empresa em que trabalha tem práticas não muito éticas. “Superfaturamento e subfaturamento são alguns exemplos”, diz Rangel. “Já vi muita gente insatisfeita porque a empresa segue pelo caminho da propina e isso é uma violação muito grande dos valores de uma pessoa”, conta. Se esse sinal amarelo acender para você, avalie se vale a pena continuar no emprego. Além de violar os seus valores, você corre o risco de ter sua reputação abalada se essas questões se tornarem públicas.

Ninguém pode ser condenado por aceitar trabalhar num empresa com esse perfil, já que raramente essas questões são percebidas durante a contratação. No entanto, depois de algum tempo de casa, quem percebeu o problema e continuou lá pode ter sido conivente com ele de alguma forma.

2. Os desmandos administrativos são gritantes

Quando você percebe que sócios ou diretores usam recursos da empresa para pagamento de hotéis exorbitantes ou restaurantes caríssimos, por exemplo, é muito bom ficar atento. Como diz Rangel, novamente sua imagem pode ser arranhada se um problema assim se tornar público.

Além disso, desmandos administrativos desse tipo podem ser uma alerta de que a empresa está fadada a um resultado muito negativo. “Lembre-se de que você está colocando seus ovos nessa cesta.”

3. Você perdeu a admiração (ou o respeito) pelo chefe

Quando seu superior direto se mostra incapaz de liderar e orientar os subordinados, não há troca e nem crescimento na relação de vocês. “É um sinal claro de que é hora de mudar de empresa ou, pelo menos, de setor”, diz Rangel. E não adianta se iludir. Uma vez perdida a admiração – ou perdido o respeito – não há como voltar atrás.

4. Sua opinião não tem mais o mesmo peso nas decisões

Se, para completar, você notar que também deixou de ser chamado para algumas reuniões importantes… “É sinal claro de que você pode começar a se mexer para buscar outro emprego antes que sua insatisfação cresça ou você seja pego de surpresa por uma demissão”, diz o coach.

5. A empresa atrasa pagamento de salário frequentemente

Atrasos desse tipo também são uma evidência de que é hora de buscar outro emprego. “Se a empresa estiver passando por uma crise e, uma vez na vida, atrasar o pagamento, tudo bem”, diz o coach. “No entanto, se isso se repetir por dois ou três meses, eu recomendo que você tire o pé dessa canoa sem esperar para saber onde ela vai afundar”, alerta ele.

6. Os conflitos entre os sócios são cada vez mais explícitos

Sabe quando o primeiro dá uma orientação e logo vem o outro dizer para fazer tudo diferente? Sinal de que o futuro da empresa corre perigo. É bom avaliar se vale a pena arriscar sua carreira permanecendo lá.

7. O faturamento está sofrendo queda contínua

“Você sabe que a empresa faturava um milhão e começa a ver os números caírem para 600 mil, 400 mil… É um sinal vermelho”, diz Rangel. “Uma empresa de equipamento de fax, por exemplo, que não se modernizou de alguma forma nunca vai conseguir recuperar o faturamento que alcançou algum dia.”

Atenção, no entanto, se a queda ocorrer porque a empresa perdeu um cliente importante, mas já esta batalhando para conquistar outros e tem possibilidade de se reverter a perda. Nesse caso, não temos sinal vermelho, apenas um amarelo piscante demonstrando que é preciso acompanhar o desfecho da história.

8. Você não tem vontade de trabalhar

Quando você vai para a empresa praticamente se arrastando e sente um alívio na hora de voltar para casa – e isso se repete por semanas ou meses -, não se iluda. É hora, sim, de fechar um ciclo para abrir outros.

9. Sua empatia pelas pessoas e pela empresa diminuíram

Você vai ao bar e fala mal do chefe, sai com a família e conta que todo o departamento é incompetente, sabe? Melhor partir para outra.

10. Você não vê perspectiva de crescimento profissional

É aquele momento em que você sente que não tem mais o que aprender – ou porque a empresa é pequena e você já passou por todos os setores ou porque está lá há tempo demais ou porque não existem muitos cargos acima do seu ou simplesmente porque não se sente mais desafiado. Siga o jargão e saia “em busca de novos desafios”.

Como ter coragem de sair do emprego?

É preciso ter coragem para deixar um emprego, mesmo que você viva dizendo “odeio meu trabalho” por aí.

A melhor de todas as formas de encontrar essa coragem é encontrar outro trabalho e evitar a tensão de ficar desempregado. 

Para isso, o melhor caminho, claro, é começar a procurar. Comece dando uma olhada nas oportunidades do VAGAS.com.br com seu perfil. Faça uma busca ativa, reservando algum tempo do seu dia para ela.

Outra recomendação é fazer um planejamento financeiro bem detalhado. Quantos meses você consegue viver sem ganhar salário? Que gastos você pode reduzir já para aumentar a sua reserva?

Vale a pena também sondar com amigos de outras empresas como anda o mercado de trabalho para sua área. Ainda que você não possa dizer abertamente que quer deixar o seu emprego, ativar o networking é sempre uma forma de fazer as coisas acontecerem. 

Conclusão: a coragem de sair do emprego vem das possibilidades que você enxerga. E, para encontrar essas possibilidades, você precisa descobrir onde elas estão. Pode não ser fácil, mas não é impossível. 🙂

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.