RH estratégico: saiba como transformar o seu em um

Princípios gerais de atuação precisam ser transformados em ações práticas. Por isso, selecionamos um guia para tornar seu RH estratégico . Confira!

Inicie pela cultura organizacional

As empresas podem criar um movimento no sentido de modificar processos internos, modernizar procedimentos e desburocratizar a gestão e as tarefas operacionais. Porém, as verdadeiras transformações precisam se basear na cultura organizacional.

É importante realizar um diagnóstico para aferir essa questão e antecipar a repercussão e o impacto das propostas diante do quadro de colaboradores. O sucesso da implantação de estratégias inovadoras depende da dinâmica interna da organização.

Identifique forças e fraquezas por meio de indicadores

Um exercício necessário antes da implantação de mudanças é a análise dos pontos fortes e fracos da organização. Sem uma avaliação minuciosa não é possível direcionar as ações e tomar iniciativas alinhadas aos objetivos da companhia.

Para fazer essa avaliação é fundamental evitar decisões baseadas apenas no feeling. O uso de dados e indicadores são uma fonte mais segura de informações e potencializam suas chances de acertos.

Alguns indicadores muito úteis para o RH são:

  • Indicadores operacionais: referem-se à capacidade de atrair e manter talentos, desenvolvimento de pessoal;
  • Indicadores financeiros: relacionam-se aos orçamentos dos processos da gestão de RH, contabilizam os custos, despesas e investimentos do setor;
  • Indicadores empresariais: mensuram os resultados de certos processos de gestão e indicam a eficácia, a produtividade, o desempenho do pessoal, entre outros fatores.

Estabeleça uma relação de parceria com as outras equipes

O RH de sua empresa é procurado apenas quando os outros gestores desejam contratar ou demitir funcionários? Ele é mencionado apenas quando os profissionais trazem qualquer tipo de problema e seus superiores os orientam a “passar no RH”? É hora de mudar essa realidade.

É fundamental que o time comece a atuar em conjunto com todas as áreas e esteja alinhado com os principais executivos da companhia. Ele deve manter-se atualizado sobre tudo o que acontece nas diferentes áreas e trabalhar para que o capital humano da organização atenda às necessidades dos diferentes departamentos.

Adote uma postura proativa

Outro aspecto que precisa mudar é a atuação para “apagar incêndios”. Coloque essa meta ao criar o seu planejamento estratégico: trocar a postura reativa pela preventiva e proativa. Melhor que solucionar conflitos internos é procurar fazer a diferença e aperfeiçoar a atuação dos recursos humanos, prevenindo os problemas.

Os profissionais podem identificar situações que precisam de solução ou procedimentos passíveis de aperfeiçoamento, sempre com o objetivo de ajudar a organização a alcançar seus objetivos estratégicos e cumprir sua missão.

Assuma a responsabilidade pelo desempenho dos colaboradores

De acordo com a visão estratégica, o RH assume um papel completamente diferente da postura paternalista verificada em muitas organizações.

Ele se torna conhecedor do capital humano e responsável pelo bom desempenho dos atores envolvidos no sucesso da companhia. Para isso, ele precisa desenvolver iniciativas para auxiliar cada profissional a desenvolver-se e mobilizar seu pleno potencial, gerando resultados cada vez mais expressivos para a organização.

Invista maciçamente nas pessoas

Os recursos humanos são, reconhecidamente, o principal ativo das organizações. Pessoas são a solução para todos os desafios enfrentados pela companhia.

Por isso, o desenvolvimento dos profissionais é apontado por alguns autores como a missão principal de um RH que trabalha de maneira estratégica. Ele deve ser uma prioridade praticada em planos estruturados de aprimoramento, seleção e remuneração dos funcionários.

Transformar a empresa em local seguro e estimulante em todos os sentidos — no qual os funcionários se sentem respeitados, valorizados e vislumbram oportunidades de carreira — é uma das formas mais eficientes para reter talentos.

Aposte no employer branding

Você já deve ter percebido o quanto algumas organizações se esforçam para ostentar o título de “melhor empresa para trabalhar”. Isso não acontece sem motivo. Um employer branding favorável resulta em inúmeras ações que tornam os funcionários satisfeitos com o ambiente e, mais uma vez, isso se reflete na produtividade de todos.

Além disso, eles entendem que essa é uma oportunidade que não deve ser perdida e vestem a camisa da empresa. Porém, os efeitos positivos de um employer branding favorável não se restringem ao público interno da organização.

Eles se estendem também ao público externo, criando uma percepção positiva por parte da sociedade ou de seus possíveis consumidores. Além disso, manter a imagem de uma boa empresa para trabalhar atrai os maiores talentos do mercado, promove um incremento do capital intelectual e garante vantagens competitivas para a organização.

Atraia os melhores profissionais para a organização

Normalmente, o recrutamento e seleção estão entre os primeiros tópicos mencionados quando se fala da atuação do RH. Neste post deixamos esse tema por último por uma razão específica.

Em um processo de recrutamento e seleção, um dos principais desafios do RH é encontrar candidatos que, além do perfil desejado, estejam também entre os melhores profissionais do mercado. Afinal, a qualidade do capital humano é fundamental para proporcionar competitividade à organização.

Contar com a tecnologia para identificar esses contatos, aplicando ciência de dados no processo de triagem, faz toda diferença para encontrar a pessoa certa que vai ajudar a impulsionar os resultados da organização.

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"