Atração de talentos e as novas organizações

Quando o assunto é atração de talentos, é perceptível como as estruturas organizacionais e modelos de gestão se alteraram nos últimos tempos. Inspiradas por casos de sucesso, diversas empresas no Brasil e no mundo estão em busca de alternativas no que diz respeito aos formatos de trabalho e as relações entre cargos e áreas.

 

É uma questão de adaptação. O significado e as expectativas em torno do trabalho mudaram muito para as gerações mais novas. Como aponta o estudo desenvolvido pela Gallup  “How Millennials Want to Work and Live”, os jovens nascidos entre 1980 e 1996 estão em busca de coisas completamente diferentes. Nesse post vamos falar sobre algumas das principais expectativas, tendo em mente que essas mudanças devem se tornar cada vez mais relevantes para a atração de novos talentos.

 

Aproveitaremos também para compartilhar um pouco da nossa experiência, como uma empresa que trabalha com mais de 140 pessoas em um modelo radicalmente horizontal (sem chefes!) há mais de 6 anos, e que foi premiada em Nova Iorque por sua estrutura e práticas. Esperamos que goste!

 

Os aspectos organizacionais mais relevantes para as novas gerações

 

As novas gerações querem organizações mais humanas. Dentre os diversos fatores que passam a ser considerados, listamos aqueles que são mais frequentes, com base em diversas pesquisas e estudos que fizemos ao longo de nossa trajetória.

 

Ter um propósito

 

A preocupação das pessoas está cada vez mais relacionada a aplicar suas habilidades e conhecimentos em coisas que façam sentido para o mundo e tenham relação com suas crenças e valores pessoais. Conforme estudo divulgado pelo Huffington Post, “pela primeira vez observamos uma geração que prioriza o propósito no trabalho”.

 

São pessoas que continuam tendo interesses pessoais, mas que passam a dar relevância também aos aspectos coletivos. Segundo pesquisadores, isso mudou por conta de tudo que esses jovens ouviram, viram e vivenciaram enquanto se desenvolviam.

 

O desafio das organizações nesse ponto é conseguir identificar um propósito que não seja apenas uma frase bonita estampada na parede. Precisa ter significado, ser ambicioso e, ao mesmo tempo, refletir nas atividades do dia a dia ou na entrega de produtos e serviços. Nós da VAGAS.com, por exemplo, há pouco tempo refletimos e tomamos consciência da contribuição que nosso negócio trazia para o mundo, do nosso propósito. De lá para cá conseguimos ver claramente os ganhos de engajamento, evolução do negócio e retenção de talentos por conta disso.

 

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"