Empregabilidade para ex-detentos: um projeto de sucesso do AfroReggae

“Fui corrompido pela facilidade do crime, pela grana fácil”, disse Chinaider Pinheiro no início de sua palestra no auditório Fórum VAGAS. Ele entrou para a vida do crime na tentativa de ajudar seu irmão que tinha sua vida em risco por desentendimento com a liderança do tráfico. Não adiantou, seu irmão foi morto mesmo assim em uma operação da polícia e Chinaider se envolveu cada vez mais com as facções do Rio de Janeiro.

IMG_1473

Chinaider em palestra no Fórum VAGAS

Carioca, foi criado na Comunidade do Vigário Geral, seus pais eram do bem, trabalhadores. Ele recebeu boa criação, mas isso não foi suficiente para mantê-lo longe das tentações oferecidas pelo crime. Chinaider contou que ficou 10 anos preso e ele garante:

“O sistema prisional não recupera ninguém. Se nenhum trabalho for feito com as pessoas enquanto elas estão lá, elas sairão ainda pior”.

Um mês antes de ganhar liberdade, Chinaider recebeu o convite para se juntar ao AfroReggae, o salário seria bem menor, já que como “gerente” do Comando Vermelho recebia em média 10 mil por semana e mais alguns extras em assaltos. Mas ele aceitou mesmo assim e conta que o apoio de sua família foi fundamental para essa mudança acontecer “Eu estava esquecendo como era viver em sociedade, fui perdendo a sensibilidade, esquecendo o que era dar e receber amor”, comenta.

Chinaider hoje é coordenador do projeto de Empregabilidade para ex-detentos no AfroReggae, seu trabalho no Rio de Janeiro já incluiu mais de 1.500 pessoas no mercado de trabalho. Agora seu desafio é trazer esse sucesso para São Paulo, ele já comemora parcerias fechadas com algumas empresas e comenta:

“Precisamos dar uma oportunidade para essas pessoas, se as portas das empresas estiverem fechadas, pode ter certeza que a do crime estará 24h aberta”.



Sorry, the comment form is closed at this time.