CORRESPONDÊNCIAS COM O VENTO

3/06/2013

Esta exposição reúne, além de fotos e  gravuras de Samuel Ornelas, uma série de  vídeos feitos em parceria com Yvens  Giacomini, revelando a frutífera colaboração entre estes dois jovens artistas. O espanto diante do tempo (e seu rastro na memória), do lugar (como consciência de si numa dada posição, levando a uma relação significativa com o entorno) e do próprio mistério da vida é o ponto de partida para as ações destes artistas em diferentes ambientes e suportes. Mas não tem sido este o estopim de toda realização artística que perdura? De qualquer forma, podemos perceber nas obras aqui apresentadas este desconcerto essencial diante da existência e, por que não, o maravilhamento decorrente. Uma sombra, um pássaro, um tronco, o movimento do sol ao longo do dia revelam a existência de uma testemunha atenta, que tece relações significativas entre eventos aparentemente desconexos, aparentemente triviais, mas só aparentemente… É justamente no confronto do mundo aparente com uma sensação tênue (e que às vezes aflora com veemência) de que algo mais se esconde por trás da “realidade visível”, que constatamos a pertinência das experiências de Samuel e Yvens. Não seria este justamente o desígnio da Arte? O de lançar esta dúvida e nos convidar ao mergulho através das aparências? A correspondência com o vento é uma troca que se faz entre sussurros e silêncios.

Ernesto Bonato, Maio de 2013

 

1 comentário

  1. 24/06/13 @ 13:00 Geraldo Antonio Oliveira

    Correspondência com o vento, pode-se escolher ser apenas uma testemunha ocular da passagem do tempo, mas acredito que ninguém consegue ser apenas uma testemunha, interferindo no processo e mesclando a ele, tornando-se uma composição entre o espaço e o tempo.

Leave a comment