Claudio Mubarac

10/04/2014

A obra de Claudio Mubarac tem gerado aberturas no entendimento da gravura e do desenho ao atualizar tradições, reinterpretar linguagens e inovar técnicas, devido a atenta observação que o artista faz tanto da história, quanto de nossa época. O desenho, modo de pensar onde o corpo e o sentimento participam, aproxima o conhecimento de uma percepção intuitiva das matérias e substâncias da vida, em seus movimentos sutis e brutais, suas incontáveis finuras.

Seu trabalho,quanto mais engastado na memória, recombinando e reinterpretando a si mesmo sempre em relação ao universo cultural do qual é tributário, mais se oferece a novas visões como as facetas de um brilhante. Sua especial sensibilidade aos materiais de impressão, que escolhe e combina para que participem do significado da obra, contribui para a apreciação das qualidades anímicas que a imagem guarda sob sua pele.

Sua linha, que é corte e corrosão, apresenta o gesto essencial da mão, sua força, elasticidade e resistência, antes de representar um feixe de músculo ou uma espinha dorsal. Para mim, suas imagens têm a elegância e o mistério das coisas essenciais.

Além de artista plástico, Mubarac é professor de desenho na USP e tem atuado como curador independente para instituições como a Pinacoteca do Estado e o MAC-USP.

Ernesto Bonato. Fevereiro de 2014

Leia também:
Arte é fundamentalmente partilha, diz Cláudio Mubarac

Nenhum comentário

No comments yet.

Leave a comment