Home > Dicas > Entenda as perguntas da entrevista de emprego

Entenda as perguntas da entrevista de emprego

Veja o que o recrutador quer saber sobre você nessa conversa

por João Xavier*

Encarar as perguntas da entrevista de emprego não é tarefa fácil! A ansiedade e o nervosismo podem impactar diretamente no desempenho do profissional. Por outro lado, quanto mais tranquilo estiver o entrevistado, mais precisas serão as impressões do entrevistador. Pensando nisso, resolvi esclarecer algumas intenções por trás de algumas perguntas realizadas nas entrevistas de seleção.

Desvendando as perguntas da entrevista de emprego

1. Por que você foi desligado da empresa, ou porque deseja se desligar?

Esta é uma das perguntas da entrevista de emprego em que a preocupação do recrutador é saber se houve algum conflito de valores, princípios ou mesmo pequenas divergências culturais. Ele quer compreender o que você mais valoriza e como prefere trabalhar, para então julgar se há congruência com os valores e “normas culturais” da empresa contratante. Pode parecer uma questão bastante subjetiva, mas quem já viveu este tipo de situação sabe que, quando ela acontece, torna-se muito objetiva, concreta.

2. Qual resultado significativo alcançado por você? Como alcançou?

Esses tipos de perguntas da entrevista de emprego são voltados para constatar os resultados alcançados e, principalmente, a forma como foram alcançados. Mentir no currículo sobre resultados pode parecer tarefa fácil, mas inventar histórias (olho no olho) sobre como fez para alcançá-los não é tão simples. Ao descrever um resultado significativo você consegue demonstrar várias coisas, como:

  • O que você considera como “bom resultado” (ou seja, qual o tamanho da sua régua – bom resultado para você é vender 100 mil ou 1 milhão?);
  • Como você costuma operar para alcançá-lo (trabalha em equipe, delega, é individualista, agressivo, carismático etc).

Descrevendo um resultado negativo, você consegue demonstrar a capacidade de analisar seus erros e de propor melhorias para obtenção de melhor desempenho, além de sua capacidade crítica e autoconfiança. Por fim, descrever critérios para tomada de decisão pode demonstrar a forma como você raciocina e prioriza os mais diversos fatores envolvidos na decisão, como lida com a complexidade, pressão e popularidade.

3. Cite seus pontos fortes e fracos. Qual é seu diferencial?

Esse tipo de questionamento tem a ver com o quanto você se conhece e o quão confortável você está em falar sobre isso. Pessoas bem-resolvidas não se sentem pedantes ao destacar suas qualidades e nem incompetentes ao tratar das fraquezas. São cientes de suas limitações e dos riscos de não controlarem suas forças.

Assim sendo, são capazes de demonstrar como seus valores, conhecimentos e atitudes poderão afetar positivamente (é claro) o resultado da organização. Essa é uma das perguntas da entrevista de emprego que aparece muito e, por mais incrível que pareça, sempre recebemos respostas vagas, repetidas, treinadas – como: proativo, focado em resultado, ansioso, perfeccionista.

4. Qual é a tarefa mais difícil de um líder? Como lidou com um conflito entre subordinado e chefe?

Essas perguntas da entrevista de emprego estão relacionadas à forma como o profissional exerce a liderança. A liderança é situacional, portanto estamos constantemente alternando entre liderar e sermos liderados, e um bom líder é, antes de qualquer coisa, um bom liderado porque essa é uma via de mão dupla.

Desse modo, perguntar sobre conflitos com subordinados e com chefia esclarece questões sobre liderança e também questões sobre como lidar com conflitos – liderar quando tudo vai bem é fácil, quero ver liderar em meio a paradoxos, ambiguidades, escassez de recursos e, principalmente, quando há conflitos de interesses entre grupos liderados.

5. Você poderia descrever uma situação em que seu trabalho foi criticado?

A maneira como lidamos com a frustração tem muito a dizer sobre nós. Quando criticado, como você reage? Nega, ignora, leva muito a sério? Pessoas perfeccionistas costumam levar muito a sério; pessoas descompromissadas ignoram; e pessoas prepotentes negam.

Você consegue separar a mensagem do mensageiro? Isso permite uma avaliação mais racional da crítica. Como você “digere” a crítica? Uma vez avaliada, quais medidas de melhoria você toma? Lidar bem com a frustração exige muita inteligência emocional, ou seja, autoconhecimento, empatia e gestão de relacionamentos.

6. Quais suas expectativas em relação à empresa? Qual sua pretensão salarial? Tem alguma pergunta?

Por fim temos as questões ligadas às expectativas. O que o recrutador quer saber é se o que o contratante tem a oferecer está adequado à sua expectativa. Quando iniciamos em uma empresa, além do contrato formal de trabalho, fazemos também um “contrato psicológico” onde são incluídas todas as nossas expectativas (autonomia, autoridade, horário de trabalho, clima, ambiente, perspectivas de crescimento).

Um bom recrutador precisa saber se há o devido alinhamento entre as expectativas das partes, de modo a alcançar o famoso engajamento. Ao final da entrevista o selecionador deve abrir espaço para que o candidato tire suas dúvidas em relação ao processo, a empresa e ao cargo. Não podemos esquecer que em uma entrevista ambos estão sendo avaliados. E lembre-se: o que você pergunta e a forma como pergunta também podem dizer muito sobre você.

 

Cadastre seu currículo no VAGAS.com.br e aproveite inúmeras oportunidades de emprego. Se você já tem um cadastro, atualize-o aqui.

 

*João Xavier é diretor-geral da empresa de recrutamento Ricardo Xavier.