Qual a idade do talento? O impacto do etarismo nas organizações

Etarismo, também chamado de Idadismo, é o termo que caracteriza o preconceito com base na idade, ou seja, quando a faixa etária é vista como um critério de avaliação em algum processo de seleção. O conceito mais antigo do termo vem com Butler (1969), que afirma ser “[…] um processo de estereotipação sistemática e discriminação contra pessoas por elas serem velhas, assim como oracismo e o sexismo o fazem por causa da cor da pele e do gênero”. O Brasil é um país que está envelhecendo, por isso o tema vem ganhando abrangência e visibilidade, visto que essa prática acontece já a muito tempo, mas de um modo não explícito.

Com o fato do envelhecimento da população nacional, casos ficam mais frequentes e a reflexão se levanta de modo pertinente, estudos feitos em Inglaterra demonstram que esta é a forma de discriminação é a mais frequente, estimando que pelo menos 40% das pessoas já sofreram um julgamento com base na idade. Essa tácita cultura nos afeta de modo contundente, a faixa etária requerida dificilmente será mencionada por questões legais e éticas, mas muito provavelmente há um parâmetro que não é exposto, por exemplo, se, para uma empresa a idade esperada para um gestor seja entre 40 anos, dificilmente você terá acesso a essa informação.

O contrário também é comum, utilizando o exemplo da especialista em Recursos Humanos, Fran Winandy, que estará no estande VAGAS.com no HSM 2015 falando sobre esse tema, ela nos pede para imaginar um profissional de 28 anos que trabalha em uma empresa na qual a idade média dos gerentes seja 45 anos. Quando uma nova vaga gerencial é publicada na Intranet, por mais que este jovem se sinta preparado para o desafio e tenha competências para isso, certamente terá dificuldades em provar isso a todos os envolvidos por questão da idade.

É importante lembrar que esta prática é ilegal e vai contra o que o Código do Trabalho estipula no seu artigo 24.º, que fala sobre a igualdade de oportunidades. A única lógica possível para a especificação da idade seria um requisito justificável e determinante para o exercício da atividade profissional, fora isso, a consciência desse fato e a clareza dele nas organizações deve fixar a mensagem de que as pessoas devem ser avaliadas pelas suas competências e não pela sua idade. No Fórum VAGAS que ocorrerá no HSM 2015, Fran Winandy irá expor as complexidades inerentes a esta questão nas organizações e como absorver os impactos desta realidade que cada dia é mais crescente.



O formulário de comentários está fechado no momento.