Programa de inclusão de pessoas com deficiência no mercado de trabalho não tem fim

“Ter uma deficiência não muda a essência de uma pessoa, o trabalho permite sonhar”, disse Carolina Ignarra, uma das sócias da Talento Incluir, em palestra no auditório Fórum VAGAS.

Michele, Tabata e Carolina, da Talento Incluir, no estande VAGAS

Michele, Tabata e Carolina, da Talento Incluir, no estande VAGAS

Incluir pessoas com necessidades exige cuidado e atenção durante todo o processo, inclusive após a contratação. Para ela, o programa precisa de etapas, há um começo, um meio, mas nunca um fim. É um processo contínuo.

Completou informando alguns passos importantes para um projeto de inclusão: é necessário preparar o espaço tecnológico, flexibilizar tarefas, acompanhar os profissionais, desenvolvê-los e envolver todas as equipes nesse processo. o RH tem papel fundamental na criação da cultura de inclusão nas empresas.

Alguns dados mostrados por ela revelam que 23% da população brasileira tem alguma deficiência. Desses profissionais cadastrados no banco do VAGAS.com.br, apenas 6% tem ensino superior completo e ainda apenas 0,9% frequentam uma pós-graduação ou mestrado.

Para que essas pessoas possam ter acesso a oportunidades em diferentes cargos, é preciso que esses dados evoluam.

Durante toda a palestra, Carolina encantou os participantes com grande energia e brilho nos olhos ao falar do assunto.



Sorry, the comment form is closed at this time.